terça-feira, 14 de abril de 2009

RAIZ DE QUEM? PAI E MÃE DE QUEM?


Tenho ouvido falar tanto de raiz e filiação espiritual, que às vezes me pergunto sobre a quantidade de “órfãos espirituais” espalhados por todo recanto da terra.

Será que um pai e mãe de verdade abandonam seus filhos em troca de vaidade e dinheiro. Passam por cima de tudo e todos para preservar seu egoísmo; egoísmo este que negam a todo o momento, mas que os acompanha por várias e várias reencarnações.



Quanta aberração e mentira!



Com as devidas exceções, pais e mães espirituais aqui na terra são raros, raríssimos mesmo. Basta uma pequena provação para que tudo seja jogado por terra, a paternidade vai embora como uma pluma ao vento.



O contrário não acontece no plano espiritual, onde a paternidade acompanha nossas pobres almas por centenas e centenas de reencarnações. Somos filhos rebeldes isto é claro, mas o amor sublimado do criador nos perdoa e nos conduz.



Penso até que o plano espiritual gostaria que nos entendêssemos mais, que nos ajudássemos mais, que vivêssemos mais uns pelos outros.



Acontece, que aqui na terra, manifestações de amor só podem ser vistas em grandes catástrofes, onde o sofrimento alheio desenterra o sentimento de solidariedade e amor fraternal que existe dentro de nós.



Por outro lado, quando penso na raiz a coisa se complica, vez que existem vários portadores de “procurações” dadas pelos espíritos. E estes “procuradores” se posicionam com garbo e elegância para encher a boca e gritar aos quatro cantos do planeta, “- sou da raiz de fulano, ou de sicrano”. Ai vem o pior, pois quando você olha para o interior destas pessoas você nada encontra, além de uma vaidade extremada e um egoísmo gritante.



Não fosse isto, os “donos da raiz”, se camuflam por trás da falsa modéstia e da falsa humildade com intuito frenético de se beneficiarem de alguma forma dos “desavisados do santo”; os quais ao se submeterem aos fetiches por eles ditados, se tornam escravos de suas idéias inescrupulosas.



E o que é pior, basta uma crítica, ou ato que provoque desconforto, para que eles (pais e mães espirituais) despachem verdadeiras “porcarias astrais”, diga-se, “feitiço, baixo espiritismo, magia negra, e etc” sobre o primeiro desavisado que passar a sua frente. É nessa hora que vemos os “donos da raiz” e os "pais espirituais" correrem para o cemitério para praticar aquilo que na frente dos outros, os mesmos criticam, mas basta um mínimo de provocação, para que eles se filiem às forças contrárias às leis do cordeiro.



Neste esquema todo; os verdadeiros pais espirituais e os verdadeiros espíritos donos da raiz astral pagam o “pato”, e ninguém acredita em ninguém, nenhum lugar é bom, todo mundo é “macumbeiro”, somos atacados por todo lado. Sabe por quê? Nós não nos entendemos somos muito medíocres para nos harmonizar e vivemos acostumados à peja de coitados.



Coitados!



Em síntese, observe bem a raiz de sua filiação, veja se seu pai e/ou mãe espiritual não dão uma quebrada para o lado da magia negra de vez em quanto. Teste seu pai e mãe espiritual, para ver se você pode contar com eles realmente. Diga a eles que você vai visitar o terreiro de algum desafeto dele para você ver o que acontece. Garanto que a decepção vai ser imediata, pois nunca vi tanto cego guiando outro tanto de cegos.



Vergonha na cara urgente!



(Este texto só pode ser exibido fora deste Bolg com autorização expressa do Autor – Lei 9610/98 - imagem de autoria de Pierre Verger)

Um comentário:

Feio, véio, barbudo disse...

Saravá meu irmão,

Esse negócio de filiação é coisa muito séria, por isso mesmo o próprio Matta e Silva no livro "Doutrina Secreta da Umbanda" já ensina como se filiar direto com a Corrente das Santas Almas do Cruzeiro Divino. Quem tem ouvido de ouvir que ouça.

Alexandre